Por que um blog dedicado ao Itamaraty e à geopolítica do atraso?

Desde a sua fundação em 11 de março de 1808 e com a formulação do de suas Instruções basilares em 22 de abril 1821, o Itamaraty é uma das instituições mais respeitadas do Brasil no mundo. Ao longo das décadas de formação e consolidação, o Itamaraty se profissionalizou com base em uma formação sólida de quadros especializados, levando o Brasil a figurar como um país de forte tradição diplomática.

Um marco fundamental para a consolidação da Política Externa Brasileira (PEB) está representada na Constituição Federal de 1988 que estabelece suas bases no Art. 4º.

De acordo com o Art. 4º

A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios:

      I –  independência nacional;

      II –  prevalência dos direitos humanos;

      III –  autodeterminação dos povos;

      IV –  não-intervenção;

      V –  igualdade entre os Estados;

      VI –  defesa da paz;

      VII –  solução pacífica dos conflitos;

      VIII –  repúdio ao terrorismo e ao racismo;

      IX –  cooperação entre os povos para o progresso da humanidade;

      X –  concessão de asilo político.

  Parágrafo único. A República Federativa do Brasil buscará a integração econômica, política, social e cultural dos povos da América Latina, visando à formação de uma comunidade latino-americana de nações.

Ao longo deste blog vou analisar ponto a ponto da Constituição e demonstrar que além de equivocada, a PEB de Ernesto Araújo é anticonstitucional. Antes, porém, vou registrar que a preocupação com a política externa bolsonarista e olavista é equivocada, para não tecer mais críticas por enquanto.

Hoje, duas revistas dedicaram críticas pesadas sobre o comportamento ressentido do olavista Ernesto Araújo. A Revista Carta Capital dedicou várias páginas à “queima de filme” e da reputação do Brasil no exterior (imagem a seguir).

A revista Carta Capital é um tradicional veículo do pensamento de esquerda , da social democracia e do pensamento progressista, mas a revista Época, das Organizações Globo, não foi menos aguda, dedicando algumas páginas à personalidade e engajamento vira-lata do Ministro.

Por ora, não aprofundarei nas duas análises, o que farei na sequência deste blog, mas trata-se de um alerta que vai muito além da corrupção tão divulgada pelo Lauro Jardim, do jornal O Globo, sobre o laranjal do Bolsonaro e o esquema de R$ 7 milhões.

A ideia deste blog é alertar para o risco de uma política externa fascista, que poderá isolar o país e promover um regime militarizado que rompa com todas a tradição diplomática brasileira.